Transportadoras ainda não sabem como contratarão caminhoneiros autônomos




Diante da indefinição sobre o custo do frete rodoviário, as empresas contratadas para realizar o escoamento da safra estão retardando o embarque da produção agrícola.


Segundo o presidente a ANUT – Associação Nacional dos usuários do Transporte de Carga, Luis Henrique Baldez, a indefinição de como deve ser aplicado o frete rodoviário, faz com que todos aguardem uma melhor clareza sobre as regras para a contratação de novos fretes.


O que se entende, é que os produtores do agronegócio contratam empresas transportadoras e que por sua vez, realizam a contratação de caminhoneiros autônomos, assim fica inviável a aplicação da tabela do frete mínimo já que as empresas transportadoras receberiam este frete e repassariam a seus caminhoneiros autônomos um valor inferior a tabela.


Diante desta indefinição, a produção agrícola brasileira começa a ser estocadas sem qualquer expectativa de quando será feito seu escoamento pelas transportadoras.


Baldez afirma que não se trata de uma retaliação aos caminhoneiros, mas sim uma espera para melhores entendimento a respeito do tabelamento do frete rodoviário.



© 2018 | INTER REDE NOTÍCIAS - A notícia direto da fonte | Todos os direitos reservados.

  • Interrede Notícia
  • YouTube Social  Icon